Foz do Iguaçu poderá ter ramal da nova ferrovia paranaense
13/09/2018 08:18 em Cotidiano

Foz do Iguaçu poderá ser incluída no traçado da nova ferrovia que cortará os estados do Paraná e do Mato Grosso do Sul. O anúncio foi feito pelo presidente do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Danilo Vendruscolo, no último mês, durante a reunião de Coordenação do programa, na sede da Frimesa, em Medianeira.

Segundo Vendruscolo, a implantação de um ramal em Foz do Iguaçu foi um pedido do POD ao governo do Paraná. “Essa inclusão será muito importante, pois colaborará para o desenvolvimento da região e do Brasil como um todo”, disse.

O ramal de Foz até Cascavel terá como papel fundamental escoar a produção agrícola do Paraguai de forma mais barata e eficiente. O Paraguai é um importante exportador de grãos, sobretudo, de milho e soja. “Para nós, a seleção do consórcio que realizará o estudo de viabilidade da nova estrada de ferro já foi uma grande conquista. A inclusão de Foz será ainda mais importante”.

O estudo de viabilidade técnica da nova ferrovia deverá ser concluído até o final de 2018 e custará R$ 25 milhões. De acordo com a Estrada de Ferro do Paraná (Ferroeste) esse valor será pago pela empresa que ganhará a licitação para executar o projeto, que deve custar cerca de R$ 10 bilhões.

O estudo será realizado conforme as necessidades de cada ramal. Em alguns trechos deverá ser construída novas linhas. Em outros apenas revitalização

“O Oeste precisa de mais opções de modais no escoamento da produção e assim, ser competitivo”, disse Venduscolo. A produção da região atual é de 14 milhões de toneladas por ano. Em 2035 será de 21 milhões.

Trechos

Hoje são 248,6 quilômetros de ferrovia – de Cascavel a até Paranaguá  –  mas o projeto prevê a construção de mais mil quilômetros.

O primeiro trecho deve se estender por cerca de 400 quilômetros, ligando o Porto de Paranaguá a Guarapuava, no Centro-Sul do Paraná. A ideia é de que haja um novo traçado, paralelo à rodovia BR-277. Com isso, o trecho histórico – entre o Litoral e Curitiba – continuaria sendo explorado para fins turísticos.

O segundo trecho contempla a construção de 350 quilômetros de trilhos, entre Cascavel e Dourados, no Mato Grosso do Sul, passando por Guaíra, no Oeste do Paraná.

Como já existe estrada de ferro entre Cascavel a Guarapuava, haverá apenas troca dos trilhos neste trecho. Um ramal será construído entre Cascavel e Foz do Iguaçu.

 

Fonte: Click Foz

COMENTÁRIOS