Quatro policiais da Policia Nacional do Paraguai são presos após extorquir brasileiro
16/10/2021 08:40 em Cotidiano

Quatro policiais da 6ª Comissária da Policia Nacional da cidade de Presidente Franco, no Paraguai foram presos em decorrência de um caso de extorsão a um cidadão brasileiro que havia mantido um encontro intimo com uma mulher.

Segundo dados, os policiais teriam extorquido do brasileiro o valor de R$ 22 mil reais. A investigação está a cargo da representante do Ministério Público do Paraguai, promotora Zunilda Ocampos Marin, que após elementos decretou a imediata prisão dos policiais.

Os policiais presos são o 1ª oficial Domingo Martinez, o sub-oficial inspetor Ernesto Vera, o 1º sub-oficial Isidro Gallinar e o sub-oficial ajudante Claudio Brandel.

Segundo o relatório do MP, o brasileiro vinha mantendo contato com uma mulher pela rede social Facebook, e em dado momento marcaram um encontro no dia 27 de setembro na cidade de Presidente Franco, mais precisamente na Panificadora situada da Supercarretera, cruzamento com a Av. Guarani.

Após o encontro na panificadora, onde logo em seguida se dirigiram para um motel onde ficaram por algum tempo. Na saída do motel, a viatura policial M63, cujo os agentes presos estavam na viatura policial interceptaram o casal, solicitando seus documentos pessoais.

Na abordagem policial, a mulher informou que não estava com seus documentos pessoais, sendo que de pronto os policiais alegaram que a mulher era menor de idade e extorquiram o valor de R$ 4 mil reais do brasileiro, para que ele não fosse preso, sendo que a mulher ficou com os policiais.

No dia seguinte, o brasileiro recebeu uma chamada telefônica de uma pessoa que se apresentava como sendo o promotor Alfredo Miers, onde mencionava que teria que pagar o valor de R$ 20 mil reais. Logo em seguida o brasileiro recebeu uma suposta notificação pelo aplicativo WhatsApp, sobre uma denúncia de abuso sexual, chegando também pelo mesmo aplicativo imagens da mulher entrando no automóvel do brasileiro, bem como ingressando no motel e sua saída do motel.

Novamente o brasileiro aceitou a chantagem e entregou o valor de R$ 18 mil reais, porem no dia seguinte nova chamada telefônica reclamava que faltava R$ 2 mil reais, momento este que decidiu denunciar o fato.

A promotora do caso informou que desde o dia 30 de setembro vem arrecadando provas do envolvimento diretos dos policiais agora presos. Os policiais vão responder pelos crimes de extorsão, extorsão agravado e associação criminosa.

 

Texto e foto: Jornal Tribuna Popular

COMENTÁRIOS