Municípios do Paraná aderem ao Programa Criança Feliz
11/06/2019 11:34 em Cotidiano

A Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho já ampliou para 42 municípios o Programa Criança Feliz, desde a implantação dele, em abril deste ano.

A meta é de que até o fim do ano chegue aos 248 municípios elegíveis, ou seja, que tenham Centro de Referência de Assistência Social. Para inserir o município no programa, a coordenação Estadual do Programa Criança Feliz promove reuniões técnicas. O Programa, que é desenvolvido pelo Ministério da Cidadania com a Secretaria Estadual da Justiça, por meio do Departamento de Assistência Social, foi criado para promover o desenvolvimento humano a partir do apoio e do acompanhamento do desenvolvimento infantil integral na primeira infância.

O apoio é para a gestante e a família na preparação para o nascimento e nos cuidados pós-gravidez, fortalecendo os vínculos e o papel das famílias para o desempenho do cuidado, proteção e educação de crianças na faixa etária de até seis anos de idade.Para o secretário Ney Leprevost, a importância da adesão dos municípios, das famílias e da sociedade, é no sentido de promover e defender os direitos das crianças e ampliar as políticas que promovam o desenvolvimento integral da primeira infância.

Ele explica que o ponto central do programa é a visita semanal de técnicos às casas das famílias de baixa renda. O programa atende também crianças de até seis anos afastadas do convívio familiar. Mas, no Paraná, ele vai ser estendido para a chamada segunda infância, com atendimento a crianças de até 12 anos. Estão previstos, ainda, o acompanhamento de mães detentas e os filhos no sistema prisional e a busca de parcerias com universidades para a inclusão de profissionais de enfermagem e de odontologia no atendimento às crianças. Para aderir ao Programa, os municípios precisam ter Centro de Referência de Assistência Social, com registro no Cadastro Nacional do Sistema Único de Assistência Social e pelo menos 140 pessoas que sejam público prioritário. 

 

Fonte: AEN

COMENTÁRIOS