Oncinhas do refúgio biológico já tem nomes pré-definidos
04/09/2019 16:33 em Cotidiano

Não será uma tarefa nada fácil escolher os nomes das duas oncinhas (Panthera  onca)  nascidas no Refúgio Biológico Bela Vista de Itaipu, em Foz do Iguaçu. Para dar uma mãozinha na escolha, o pessoal da Diretoria de Coordenação da empresa sugeriu algumas opções, todas elas em avá-guarani.

Para a fêmea foram sugeridos Panambi (borboleta), Poty(flor) ou Porã (bonita). Já o filhote poderá ser batizado como Arandu (sábio), Marangatu (santo) ou Pytu (fôlego).

A  lista será submetida à sabatina de uma turminha bastante exigente, os estudantes das escolas públicas municipais da Vila C, Arnado Isidoro de Lima  e  Padre  Luigi. A escola que tiver o maior número de votos nos nomes vencedores vai ganhar um kit com cinco computadores, para equipar ou ampliar uma sala de informática.

Exposição

Os bebês-onças podem ser visto no refúgio acompanhado da mãe Nena, às terças-feiras,  quartas e quintas. Já as segundas e sextas-feiras o local é ocupado  pelo  pai,  Valente.  Eles  foram  colocados no recinto no dia 29, depois  de  três meses de quarentena. Com a campanha Que nome você acha que combina  com a gente, a Itaipu quer garantir um vínculo maior da comunidade do entorno com o refúgio.

“A  ideia é que as crianças visitem as onças e conheçam todo trabalho feito  pela empresa pela promoção da conservação da natureza, em especial a reprodução  de  animais”,  diz  o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell.

Primeiros passos

As  onças-pintadas  nasceram  nos  dias  1º e 2 de junho deste ano, e foram apresentados à imprensa no dia 27 de junho, data do aniversário de 35 anos  do  Refúgio  Biológico  Bela  Vista. Na ocasião, foi feita a sexagem (processo visual para saber se são macho ou fêmea) e avaliação geral, para verificar a saúde dos filhotes.

A  oncinha  preta, melânica como a mãe (Nena), é fêmea; a outra oncinha, pintada como o pai (Valente), é macho.

Banco genético

Esta é a segunda reprodução bem-sucedida de onças-pintadas no Refúgio Biológico  da  Itaipu. Em dezembro de 2016, depois de 14 anos de tentativa, nasceu Cacau, que também é filha de Nena e Valente.

O  objetivo do Programa de Reprodução da Onça-Pintada, da Itaipu, é formar  um banco genético vivo que permita, futuramente, fazer a reinserção desses   animais   na   natureza.   Essa  reinserção  vai  envolver  várias instituições e, para isso, são necessárias boas matrizes. Os novos filhotes podem  se  tornar  reprodutores  e  ajudar  no processo de reintrodução das espécies nascidas em cativeiro.

Fonte: Refugio Biológico Bela Vista

COMENTÁRIOS