Secretaria de Saúde de Foz discute plano de contingência para o manejo da dengue
05/09/2019 08:17 em Cotidiano

Diretores da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) e representantes do Hospital Municipal Padre Germano Lauck estiveram reunidos ontem (2) para debater o Plano Municipal de Contingência de Arborivoses (dengue, febre de chikingunya e zika vírus) para o novo ciclo da dengue (2019/2020).  O prefeito em exercício e secretário de saúde Nilton Bobato também participou do encontro. 

“É um encontro para alinhar toda a rede pública de saúde para a melhor assistência às pessoas com suspeita ou com dengue ou outras arboviroses. É uma frente muito importante do trabalho que articulada às ações de prevenção e controle ao mosquito visa aperfeiçoar o fluxo do paciente na rede”, informou Bobato. 

As novas orientações de fluxos e manejo da doença nas redes de Atenção Básica (unidades básicas de saúde), Especializada, Urgência e Emergência (upas) e Hospital Municipal fazem parte da elaboração do Plano Municipal de Contingência da Dengue.  Durante o encontro, a equipe de Vigilância Epidemiológica apresentou o documento que deverá ser encaminhado ao Conselho Municipal de Saúde (Comus) e à 9ª Regional de Saúde nas próximas semanas. 

O plano possui mais de trinta páginas e contem cinco eixos que incluem vigilância epidemiológica, a assistência médica ao paciente, o controle do vetor, gestão de recursos e comunicação de educação em saúde. “O plano visa elaborar ações em cada setor responsável para prevenir uma epidemia ou em caso de epidemia, evitar a ocorrência de óbitos”, explicou a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Mara Ripoli. 

Porta de entrada

De acordo com o Coordenador do Comitê da Dengue Jean Rios, um dos principais objetivos é integrar a rede assistencial e sensibilizar a população para o primeiro atendimento nas unidades básicas de saúde. “As UBSs são a porta de entrada para o primeiro atendimento dos pacientes com suspeita de dengue. A classificação de risco que varia de A, B, C e D, acontece nas UBSs, que encaminham os pacientes às outras unidades conforme a gravidade” enfatizou Rios. Outro ponto importante presente no plano é a obrigatoriedade da emissão do cartão da dengue aos pacientes nas unidades básicas de saúde. 

Presenças

Também participaram da reunião, o diretor geral do Hospital Municipal Padre Germano Lauck (HMPGL) Sérgio Fabriz; o diretor clínico do HMPLG Fábio Marques; a diretora de vigilância em saúde (DIVS) Carmensita Gaieviski Bom; o gerente de serviços técnicos da vigilância epidemiológica Roberto Doldan; a diretora de atenção básica (DIAB) Adriana Izuka; a diretora de urgência e emergência (DIUE) Rozineide Batista; a diretora de gestão (DIGS) Rose Mery da Silva; o chefe do CCZ Carlos de Santi; o diretor de comunicação da prefeitura Madson de Oliveira, a chefe de divisão da saúde da família Daniele Rosante Machado; o gerente de território e do programa de agentes comunitários de saúde Thiago Cavalcante e o representante do laboratório municipal, Adriano Pavan.

Fonte: PMFI

COMENTÁRIOS